segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Capítulo 29

O primeiro dia de aula foi mesmo incrível, nunca poderia imaginar que seria tão agradável. Tirando a parte da aula de matemática no último horário correu tudo muito bem até o final, tirando a parte em que voltei para casa com Marcelo. Gustavo precisou encontrar com os pais no final da aula e Letícia para minha felicidade não voltaria junto comigo para casa, pois ela estava iniciando uma nova campanha com a agência. Sem ela para me atormentar ao menos na parte da tarde já era um alívio. ´
Fiquei um tempinho depois do término do horário conversando com meus amigos e creio que Marcelo fez isso também e como ninguém voltaria pelo mesmo caminho que a gente pelo menos nesse primeiro dia só restaram nós dois por uma ironia do destino. No início pensei em apertar o passo e ir sozinha mesmo, afinal nós dois não agüentamos ficar perto um do outro e eu não consigo engolir a história de que ele me acha uma mentirosa, ou melhor, sabe que no fundo minha irmã mente, mas prefere acreditar na realidade que melhor lhe convém, mas pensei melhor e resolvi ir ao lado dele para ver qual seria sua reação mesmo que ficássemos o caminho todo no silêncio profundo. Com certeza ele pensou em fazer a mesma coisa que eu, mas também deve ter ficado curioso em saber qual seria minha reação e como nos comportaríamos durante nosso regresso para casa. Nos encaramos rapidamente e nos próximos 5 minutos ficamos andando lado a lado calados. Não sei o que aconteceu comigo, mas quando percebi já havia conversado com o garoto e perguntado sobre o que ele tinha achado do primeiro dia de aula. Além de eu cometer a burrada de conversar com Marcelo eu precisava perguntar algo tão fútil, ridículo e banal como eu fiz. Cheguei a pensar que ele iria fingir não escutar, mas para minha surpresa ao invés de responder minha pergunta sem noção me fez uma outra pergunta.
- O que você fez para minha avó gostar tanto de você?
- Como assim? – Respondi meio surpresa
- O jeito que ela fala de você, como ela tenta me forçar a gostar de você, te conhecer melhor, o modo como ela diz que você é cheia de vida, a forma como ela te elogia, ás vezes penso que ela prefere você a mim. Então mesmo não tendo muita afinidade, preciso descobrir o que fez e já que achei uma oportunidade de te perguntar você poderia me responder – Marcelo disse com o mesmo tom frio que dirige a mim sempre.
Achei aquela pergunta um abuso. Na verdade ele estava querendo insinuar que eu fiz algo para que Clara gostasse de mim e estava meio que indignado porque pensava que ela preferia estar comigo do que com ele. Não tinha fundamento o que ele disse, até porque os sentimentos de alguém não funcionam como uma competição, algo que você tenha que medir, simplesmente existe. O carinho que ela sente por mim é diferente, ele é neto dele, mas no fim se trata do mesmo sentimento de querer o outro bem e isso definitivamente Marcelo não entende. Mas como estou acostumada com a dissimulação e o modo como ele me acusa resolvi mudar o jeito que lhe respondia. Se até hoje tentei expor a verdade, discutir, tentar mostrar a vida de outro jeito a partir de agora com toda essa transformação que sofri nos últimos tempos resolvi dar a ele a resposta que ele gostaria de ouvir, até um pouco irônica só para ver a sua reação.
- É Marcelo você tem razão. Eu a sabotei, menti, disse que gostava de coisas que eu odeio só para conquistar a amizade dela, afinal o mundo de hoje é superficial e falso. Disse o que ela gostaria de ouvir e agora olha só ela prefere conversar comigo. Acho que penso como você, a amizade e o sentimento das pessoas devem ser comprados e não conquistados, nós devemos acreditar na verdade que queremos não importa o quanto irreal seja. Não funciona tão bem com você?
- Pelo contrário funciona bem apenas com você. Olha o modo como minha avó gosta de você inexplicavelmente.
- Tem razão, é inexplicável mesmo. E acho mais inexplicável ainda você ter tanta convicção de como eu sou se de fato você nem me conhece realmente. Você apenas me vê, nos encaramos e às vezes trocamos poucas palavras que sempre nos levam a alguma discussão como agora. No mais você não sabe nada sobre mim. Posso dizer o que você quer ouvir, que compro a amizade da sua avó, pois essa é a verdade que quer escutar, mas não farei isso, mudei de ideia. Só quero te dizer que não tenho culpa dos seus problemas, aliás, ninguém tem e todo mundo tem algum e enfrenta como pode. Sei que algumas coisas são difíceis de lidar, mas as pessoas a sua volta não têm culpa de nada que já aconteceu com você. Então pare de julgar, para de me julgar sem me conhecer realmente e procura descobrir a verdade real dentro de você porque o que eu vejo aqui é um garoto assustado, que deixou a decepção e os traumas tomarem conta aos poucos do que é realmente.
- Do que você está falando, não sabe nada de mim para falar algo assim...
O interrompi dizendo
- Da mesma maneira que você não sabe nada de mim e desde o primeiro momento já ditou a impressão de mim da maneira que quis. Engraçado não é mesmo?
Nem escutei direito a resposta que ele me deu, acabei me empolgando e falando demais e quase deixo escapar o segredo que Dona Clara havia me pedido para guardar, mas de fato ele mereceu ouvir tudo aquilo para refletir e eu me senti aliviada de dizer.
Cheguei em casa e aproveitei meus momentos sozinha,dormi um pouco e comecei a fazer a capa dos meus cadernos que assim como o “caderno da confusão” também seriam personalizados. Mais tarde passei na livraria de Júlia para comprar alguns materiais e colocamos os assuntos em dia. É incrível como sempre arrumamos novos assuntos mesmo tendo nos visto há poucas horas atrás. Júlia continua com a ideia de que devo participar do concurso da livraria, mas ainda não estou totalmente convencida. Prefiro aguardar a escolha do tema e aí assim decidir se tomo coragem e me inscrevo ou não. 

Um comentário:

Priscila disse...

Adorei seus textos, comecei a ler do primeiro e só consegui parar quando cheguei aqui. Quero muito saber o que irá acontecer de agora em diante!
Parabéns muito boa a história!
http://iloveandyoulike.blogspot.com/

Postar um comentário

 
;